Litania do primata fuliginoso

Digo: Filme Socialismo. Digo, ao vê-lo: para a imagem, Godard é regressivo, pois armou, com grande êxito, uma volta à solidão da imagem perenizada: limitou-se à fotografia.

Mas classificarei seu ultimo trabalho: Filme Socialismo? Litania do primata fuliginoso.

E se eu disser: sim, fotografia, mas antes da invenção do cinema. Talvez essa conclusão explique a pletora textual, o oceano verbal que coube na condição minúscula das “fotografias”. O que a imagem cala, a palavra lança. Há, mais uma classificação: Filme Socialismo: os três C, que soa o comportamento do verbo ante a imagem – Corte, Colagem e Alargador. Espera! Este último se inicia com C? Não! Então o Corte, e Cole por ali o termo Continuador.

A pergunta que não quer calar: Godard está aqui com o gládio de revolucionário ou com o porrete de carcerário? Ó, maquina do tempo, se me levasse aonde não pudesse ser ouvida, de certo que responderia! Mas responder a isto é temerário, pois aqui há um “sacrário”.

Bruno Rafael

Fevereiro de 2011


ISSN 2238-5290