Corra Que a Polícia Vem Aí (1988, David Zucker)

Absurdo gracioso

Na própria “negação” que existe acerca de filmes como Corra que a Polícia vem aí o absurdo (que é compartilhado com o próprio filme diante de sua temática) se (re)encontra com a facilidade inexistente: tudo o que ocorre no filme é facilmente compreendido e perdoado pelos seus personagens. O humor de Leslie Nielsen, execrado pela crítica, consegue com um único movimento provocar uma tragédia – qualquer uma mesmo. Surrealismo, ritmo, diálogos muitas vezes inspirados e um roteiro que propicia situações impossíveis a todo segundo faz do filme um dos grandes ícones da comédia absurda americana da década de 1980 (que, numa ótica de análise completamente diferente, vai encontrar alguma semelhança com a comédia crítica feita na ex-União Soviética na mesma década), um daqueles filmes inconfessáveis que todos assistiram, mas que poucos arriscam dizer que gostaram. Talvez seja necessário vê-lo em sua intimidade.

Ricardo Lessa Filho


ISSN 2238-5290