Do infinito até aqui

“...ou esta maravilhosa sequência, tão profunda e tão longa que serão necessários dois planos para completá-la, ou seja, para cumprir a viagem que é realizada dentro dela: Shirley Temple vem do fundo do quadro até quase à sua superfície, que a câmera toma como distância final e limite preciso entre corpos e espaços, lá onde residem o ar e a luz. Esta é a arte de Ford, esta que os que souberam ver Cavalo de Ferro e seus trilhos a perderem-se de vista há muito já a sabem: a dos gestos completos, a dos gestos traçados desde o Infinito até aqui.”

Filme: Forte Apache (1948, John Ford)

Ranieri Brandão

Maio de 2015


ISSN 2238-5290